Pesquisa aponta tendências de marketing para 2021

Nos últimos meses o mundo passou por grandes incertezas. Tendências foram aceleradas, enquanto outras perderam o sentido em meio ao isolamento social. Agora as empresas passam por um novo desafio: planejar o ano de 2021 com os impactos e perspectivas trazidos pela crise.

Pensando nisso, a Deloitte desenvolveu o estudo “2021 Global Marketing Trends: Find Your Focus”. Construída com duas frentes de pesquisa, ela busca compreender as mudanças de consumo por parte dos consumidores e a outra para entender as estratégias e expectativas de mais de 400 executivos ao redor do mundo.

A partir dos dados obtidos, foi possível apontar sete tendências de marketing para 2021. Confira!

PROPÓSITO:

O propósito leva as empresas a um conhecimento profundo sobre por que elas existem, quem são e o que tem de melhor para entregar à comunidade, independentemente do produto que venda. Segundo a pesquisa, essas marcas estão sendo lembradas na pandemia. 79% dos entrevistados responderam que indicaram uma empresa que respondeu de forma positiva para ajudar os consumidores, colaboradores ou comunidade.

AGILIDADE:

A agilidade foi e continuará sendo outra palavra de ordem. Esse é o momento ideal para os profissionais de marketing investirem em ferramentas digitais relevantes e promover um road map organizacional que torne o marketing ágil uma realidade. De acordo com o estudo, além de perceberem as marcas que se adaptaram rapidamente às suas necessidades, 66% dos entrevistados  também concordam que a pandemia aumentou seu apreço por tecnologias bem desenvolvidas.

EXPERIÊNCIA HUMANA: 

Mais do que nunca, em 2021, as marcas precisam se ver como entidades humanas, que espelham e suportam os valores daqueles aos quais ela deve servir – seus consumidores. Apesar do avanço da digitalização, as experiências virtuais diminuem o retorno já que a tecnologia não pode compensar completamente as interações interpessoais. Nesse sentido, a experiência humana será ainda mais importante no próximo ano.

CONFIANÇA:

Em tempos turbulentos, como os trazidos pela COVID-19, as marcas devem olhar menos para como as pessoas são e mais para o que elas valorizam. Outro ponto importante é garantir que as promessas feitas pela marca estejam em linha com a competência técnica de entregar o produto ou serviço ofertado, afirma o estudo. O posicionamento durante a pandemia também será levado em conta nessa relação. Vale lembrar que um a cada quatro pesquisados deixaram de comprar de marcas que agiram em favor próprio nos últimos meses.

PARTICIPAÇÃO: 

Na pesquisa realizada com os executivos, 64% afirmaram ter mudado a maneira como suas organizações se engajam com os consumidores para melhor responder à pandemia. Essa relação com os usuários pode rapidamente se tornar uma via de mão dupla, onde os clientes participam das marcas como embaixadores, influenciadores.

FUSÃO: 

A pandemia deu um novo olhar para parcerias e colaboração entre as marcas. As organizações podem ajudar mais e melhor as pessoas a quem elas servem criando experiências inovadoras por meio de parcerias.

TALENTO: 

O ano de 2021 também deve trazer mudanças quanto à maneira como as lideranças de marketing são encaradas. Acredita-se que, com as mudanças, o modelo de talentos deve evoluir para levar as cadeiras de marketing à posição de diferencial competitivo.  Na pesquisa, quando os executivos foram questionados sobre as áreas de funcionamento mais importantes de suas empresas nos últimos dois anos, marketing & vendas foi apontada como a segunda mais relevante, perdendo apenas para digital & tecnologia.

REFERÊNCIA:

Meio & Mensagem. Deloitte aponta sete tendências de marketing para 2021. Disponível em <www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/10/20/deloitte-aponta-sete-tendencias-de-marketing-para-2021.html>.