A preocupação com os funcionários é o maior diferencial em momentos de crise.

A preocupação com os funcionários tornou-se o maior diferencial no momento. Em um estudo feito pelo McCann Truth Central, 48% dos brasileiros acreditam que a melhor coisa que as marcas podem fazer nesse momento de crise é se preocupar com os seus colaboradores. O levantamento também revelou que um terço da população mundial espera que os diretores executivos devam fazer sacrifícios por suas empresas.

Uma das empresas que realmente teve um posicionamento condizente com os valores da marca em meio a pandemia foi a Magazine Luiza, popularmente chamada de Magalu. Os dados foram coletados entre 300 pessoas pela ESPM Rio (Escola Superior de Propaganda e Marketing). A pesquisa quantitativa mostrou as cinco principais marcas que estão sendo lembradas de forma positiva por seus valores, dentre elas: Ambev, Rede D’Or, Itaú e iFood, além da Magazine Luiza que ficou entre as mais apontadas pelos entrevistados.

A pesquisadora da ESPM Rio, Karine Karam, afirma que a Magazine Luiza consagrou-se como um caso de sucesso no mundo dos negócios devido ao posicionamento adotado desde o começo da pandemia. “A marca primeiro fechou todas as lojas. Depois pediu para os comerciantes não demitirem e para a população ficar em casa. Em abril, a Magalu fez uma doação de R$ 10 milhões para o combate do Coronavírus e dobrou benefícios para funcionárias mães que não fazem home office. Em maio criou uma plataforma para empreendedores venderem seu e-commerce e ainda lançou uma campanha contra a violência doméstica”, apontou Karine, responsável pelo estudo.

Frederico Trajano, CEO da Magalu, afirma que os diferenciais da marca não estão nos produtos vendidos ou nas promoções oferecidas. Mas na preocupação que a empresa tem com seus clientes e funcionários.

Na extremidade oposta do ranking, a ESPM Rio destacou a rede de restaurantes Madero e a rede varejista Havan. Ambas conquistaram olhares negativos da população por seus posicionamentos, especialmente após a demissão de 600 funcionários por parte do Madero e a suspensão do contrato de 11 mil trabalhadores da Havan durante a quarentena .

Percebemos, portanto, que o principal diferencial no momento não é somente a promoção ou redução de preços de suas mercadorias. A segunda iniciativa mais importante para os consumidores é também que as empresas produzam respiradores ou máscaras. De tal forma, os clientes estão redefinindo valores e reavaliando as marcas que estão acostumados a consumir. Adotar um posicionamento coerente com a atual situação é, certamente, a ação mais significativa.